sexta-feira, 8 de abril de 2011

ALÔ, ALÔ REALENGO. AQUELE ABRAÇO!




O país tenta entender o ato do jovem Wellington na última quinta-feira na escola municipal Tasso da Silveira, em Realengo (Rio). Enquanto isso, o PIG trata o triste fato com o sensacionalismo podre de sempre.

Além de, mais uma vez, utilizar a tragédia para obter a maior audiência possível (leia-se o maior lucro possível) a velha monarquia midiática tupiniquim cria inúmeras formas preconceituosas de vender a imagem do jovem afirmando que ele seria portador de HIV, religioso islâmico (reafirmando o rótulo de radicalismo criado para os islâmicos) e "nerd" por ter sua vida social supostamente baseada na internet. Ou seja, um verdadeiro show de horror, como se já não bastasse o fato em si.

Aí surge uma carta deixada por Wellington e o PIG continua sua trilha de achismos irresponsáveis e difamatórios tentando dar o veredito para o caso. Uma interminável seção do tribunal, de exceção, midiático.

Claro que não poderia faltar também a manifestação daqueles eleitos pelo povo. Eis que surge o eterno senador José Sarney afirmando se tratar de um o ato de “terrorismo” e, dentre outros absurdos, afirma ser necessário que se coloque no currículo das escolas a disciplina “segurança pública” (como se as escolas que temos já não fossem verdadeiros presídios recheados por portões, chaves e cadeados por todos os lados). Saia de seu gabinete, "senador", e conheça o que é uma escola pública no nosso país!

Existem inúmeras possibilidades para se compreender o que ocorreu em Realengo mas para tanto não podemos agir de forma irresponsável e preconceituosa. É um fato que chama a atenção para o entendimento e a convivência da sociedade brasileira.

Raros são os meios de comunicação que estão se propondo a isso.

É necessário refletirmos sobre as referências sociais que possuímos. Vivemos em uma sociedade doente, sem perspectiva de respeito ao ser humano. O único respeito que se tem é o lucro! O suce$$o a todo custo! Não se quer mais ser, apenas ter!

A sociedade acredita nisso e a mídia e a escola que temos são apenas reflexos disso. E essa mesma sociedade, absolutamente cega, não percebe que tudo isso retornará contra ela. Acreditamos que tudo se resolve com mais segurança, mais câmeras, mais cadeados e mais hipocrisia!

Enquanto não focarmos na nossa condição (a humana!), infelizmente atitudes como a de Wellington se repetirão.

É preciso dizer não ao "deus mercado" retornando nossos ideais para o mundo do ser exorcizando o mundo do ter!

SIGA O BLOG NO TWITTER!

2 comentários:

  1. Af, divulgar comunismo tinha que ser tanto crime quanto divulgar o nazismo...

    ResponderExcluir
  2. "Divulgar Comunismo", Guilherme? Onde leu isso?

    ResponderExcluir